sexta-feira, 29 de abril de 2011

O Casamento Real

O grande evento do dia, o grande comentário é o casamento real! Ideologias políticas à parte, confesso que fiquei encantada e vidrada na televisão para acompanhar a cerimônia. Tudo muito bonito, cheio de pompa e circunstância, como um conto de fadas deve ser. Coloquei a Julia para assistir comigo o casamento. Quando ela for adulta vai poder dizer que assistiu e eu vou contar a ela todos os detalhes.

Felicidade estampada!


Passei a semana imaginando a ansiedade de Miss Kate Middleton. Ora, toda noiva fica uma pilha nos dias que antecedem o casamento, imagina ela que iria, de fato, virar princesa! Me lembrei muito dos dias que antecederam meu casamento, que momentos mágicos! Vendo a princesa a caminho da Abadia de Westminster, me lembrei do meu nervosismo no meu percurso até a Paróquia da Paz.

Achei o vestido dela simplesmente perfeito! Lindo mas sem exageros, como o meu........rsrsrsrs...... já deu pra perceber que estou me sentindo a princesa também, né? Mas qual mulher não se sente uma princesa no dia do seu casamento? Qual  mulher não se emociona e revive seu próprio conto de fadas ao ver um casal que se ama selando a união?

Na carruagem, como num conto de fadas

Achei lindo o príncipe dizer a ela, ao recebê-la no altar, que ela estava linda! Claudio me disse a mesma coisa e me fez chorar ainda mais (eu estava muito, mas muito emocionada mesmo no nosso casamento). Achei linda a troca de olhares deles no momento do discurso do irmão dela. Foi rápido, mas deu pra perceber como eles são cúmplices e estão apaixonados.

Lembro da cena do beijo do casamento de Charles e Diana (abafa o caso!)

Espero sinceramente que os dois sejam felizes. Que possam continuar apaixonados, apesar da rotina, e que construam uma bela família. Desejo que o Príncipe seja sempre Encantado para ela e que o conto de fadas dela nunca tenha fim. Felicidades ao Príncipe William de Gales e à Princesa Catherine (acho o nome dela lindoooooo)!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Medo de Cachorro

Eu tenho pavor, pânico mesmo de cachorro. Sempre tive não sei bem porque, já que nunca fui mordida, nem mesmo ameaçada de forma mais concreta, além dos meus devaneios medrosos.

Hoje quando estava pegando a Julia na escola, escutei uma gritaria na rua e de repente todo mundo que ía saindo de dentro da escola, entrou correndo e fechou o portão. Um cachorro enorme, rottweiller, se soltou de uma das casas da rua! Imaginem o pânico! Depois eu soube que a mãe de um coleguinha da Julia tinha acabado de colocar o filho no carro quando o cachorro foi pra cima dela. O segurança da escola então conseguiu chamar a atenção do cachorro pra tirar de cima dela, mas foi derrubado várias vezes pela fera.

Com muito custo os donos conseguiram segurar o rottweiller. Graças à Deus ninguém teve nenhum ferimento sério. Mas fico pensando o que poderia ter acontecido........... imagina se um cachorro desses pega uma criança?



Na hora que o cachorro se soltou, era para eu estar do lado de fora da escola, mas graças à Deus (e eu já agradeci muuuuuuito a Ele) cedi ao pedido da Julia de brincar um pouco no parquinho. Eu não sei reagir nesses momentos. Não consigo ficar relaxada em ambiente com cachorro, mesmo que seja um filhotinho, imagina se eu estivesse na rua com a Julia e um rottweiler!

Acho que é necessária uma reflexão dos donos de cachorro em geral para não colocar os outros em risco. Vez ou outra aparece na imprensa notícias de pessoas que foram muito machucadas ou mesmo mortas por cachorros assim. Se é pra ter um cachorro desses, que ele seja bem adestrado, bem tratado, que tenha espaço e tempo para correr e que não seja um animal estressado. Que os donos também entendam que as outras pessoas não são obrigadas a conviver com esses animais na rua e que cachorro é animal irracional, portanto não se pode garantir que ele não vá atacar alguém.

Mas além dessas reflexões, fiquei com outra coisa martelando na cabeça: a Julia ficou impressionada com a confusão. Ela veio até em casa falando no cachorro. Eu não quero que ela seja medrosa como eu, porque é muito desconfortável ficar estressada até com filhotinhos, mas também tenho que ensiná-la que com cachorro não se brinca. Falei pra ela que a gente não mexe com cachorro que não conhece, porque o cachorro não pensa e pode morder. Fiz certo? Não sei! Mas apesar de não querer que ela seja medrosa como eu, prefiro que ela seja medrosa do que afoita demais e acabe sendo atacada por uma fera dessas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Cine Materna: Especial de Dia das Mães!

Um presentão de Dia das Mães para as mamães de pequerruchos: sessão Cine Materna especial de Dia das Mães.



Para quem não sabe, o Cine Materna é uma sessão de cinema para mães com bebês de até 18 meses. Grávidas, papais e acompanhantes são bem-vindos e os filmes, escolhidos por enquetes online com particiação das mães, são para a diversão dos adultos. As salas de cinema são equipadas para acolher os bebês com todo o conforto: som reduzido, trocador na sala, ar condicionado mais suave, ambiente levemente iluminado.

Em Fortaleza, o projeto já funciona desde Setembro, organizado pela Luana, mamãe do Levi (http://maenareal.blogspot.com).
Mas essa Sessão Especial de Dia das Mães vai ter o patrocínio da Fisher Price. Vai ser gratuito!!!!

Para conseguir seu convite, é só se cadastrar no site do CineMaterna.

Se você já tem cadastro é só aguardar seu convite chegar por email, imprimir e levá-lo no dia pra trocar pelo seu ingresso (acompanhante paga!)

MAIS INFORMAÇÕES:
Data: 07 de Maio de 2011, Sábado
Horário: 10h30min, chegar pelo menos 30 minutos antes pra trocar o convite pelo ingresso!
Local: Shopping Iguatemi Fortaleza
Filme: Enquete em breve!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 26 de abril de 2011

A Magia do Cinema em Família!

Cinema é tudo de bom! Claudio e eu adoramos! Sábado então resolvemos introduzir a Julia nesse mundo mágico, de sonho.

Preparamos a Julia para o que seria o programa para evitar que ela ficasse muito inquieta ou gritando muito no cinema (eu digo muito porque evitar gritinhos totalmente é impossível, ela  se expressa assim quando está empolgada!). Levamos a baixinha pra assistir Rio, ela amou e se comportou super bem!
 
Logo de cara, quando compramos os ingressos, ela pediu pipoca. Como ela associou pipoca à cinema eu não sei..........rsrsrsrs........ mas a garota é esperta!



Ela ficou muito à vontade no cinema. Na primeira metade do filme, ela ficou trocando de lugar (o cinema estava bem vazio) mas da metade para o fim se concentrou tanto que me deixou impressionada. Viajou mesmo na história e no colorido das Ararinhas Azuis!

No dia seguinte, contava à todo mundo a aventura. Agora, com certeza, ela será nossa companhia no cinema com muita frequência, porque programa em família é tudo de bom!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Páscoa!

Páscoa é tempo de renovação, de renascimento, é a festa da ressurreição. Mas como explicar isso à Julia???? Fiquei pensando, pensando e não cheguei à uma conclusão. Ela não sabe nem o que é morte, vai entender o que é ressurreição???

Então explicamos de modo simples que a Páscoa é quando Jesus nasce de novo. Jesus ela já sabe quem é e nascimento ela sabe o que é............. com o passar dos anos a explicação vai ficando mais completa, mas por enquanto acho que é isso que ela tem condições de entender.

O coelhinho da páscoa também passou por aqui. Ela ganhou muuuuuuuuuito chocolate e nós tiramos uma "casquinha" do chocolate dela, até porque ela gosta de chocolate, mas gosta muito mais dos brindes dos ovos! Nós demos a ela o Ovo da Moranguinho e dentro vinha um brilho labial. No primeiro dia ela já consumiu metade do brilho, passava e tirava, passava e tirava! Estava achando o máximo!



Ela também curtiu os brindes dos outros ovos e eu estava pensando como os ovos mudaram. Na minha época eles eram todos iguais, a embalagem era de bolinhas coloridas e dentro vinham chocolates sortidos. Eu ficava na maior ansiedade pra ver quais seriam os chocolates do meu ovo, porque minha grande decepção era quando vinha um recheado de ameixa ou de banana........ me lembro demais do papel que envolvia o bombom de ameixa........

Hoje em dia, nos ovos vêm brinquedinhos e normalmente as crianças escolhem o ovo não pelo sabor ou pelo fabricante e sim pelo brinde. Inclusive, no dia que fui comprar, tive dificuldade em achar ovos que não tivessem os brindes, eles eram minoria. Fico pensando como isso se reflete nas cabecinhas deles. Porque a Páscoa fica ainda mais comercial..... e além da associação com o ovo em si, tem a associação com o brinquedo.......... e o lado espiritual como é que fica? 

A Julia, mesmo sendo tão pequena, mesmo tendo recebido explicações sobre o motivo da festa, entendeu que dentro dos ovos vinham brinquedos e abriu todos na mesma hora só para pegar os brindes. Posso impedir? Talvez, se eu não permitir a entrada de ovos de páscoa aqui em casa. Mas sinceramente não acho que isso seja a solução. Ela não pode crescer numa bolha, precisa conhecer o lado bom e o lado ruim de tudo e precisa aprender a se defender dos apelos consumistas. Deixo ela brincar com os brindes mas também ensino a ela a partilhar. Esse ano ela levou pra escola ovos não só para as professoras, mas levou também ovinhos para os porteiros e seguranças da escola e para os coleguinhas. Ela mesma distribuiu com todos na maior alegria! Foi muito bom ver minha pequena tão alegre partilhando algo que ela gosta tanto!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 16 de abril de 2011

Matemática!

Quinta-feira meu queixo caiu. O do Claudio também! Estávamos brincando com a Julia e ela resolveu distribuir as cinco tampinhas dos carimbos que ela tinha na mão. 

Colocou três na minha mão. Eu pedi pra ela contar quantas ela tinha me dado e ela contou direitinho, até aí tudo dentro do esperado. Ela então foi até o pai e colocou as outras duas na mão dele. Ele então disse: "Julia, pega uma da mão da mamãe e dá pro papai?"

Ela olhou pra ele e soltou: "E aí a mamãe vai ficar só com duas?"



 Dá pra imaginar o espanto né? Ainda não completou 3 anos e já está fazendo conta! Tá certo, não vou exagerar, não está propriamente fazendo conta, pelo menos não de forma consciente (acho eu), mas já tem intimdade com os números e já lida com eles com naturalidade! Babei!!!!!!!!!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Tirando cheiro de xixi de sofá!

Estou convicta que ter o sofá "batizado" de xixi não é um privilégio meu então vou contar aqui como saí desse apuro! Dica de dona de casa prendada (tudo que não sou!).

Primeiro vou relembrar que a Julia já está desfraldada durante o dia (usa fralda somente para dormir à noite). Mas como toda criança recém-desfraldada, ela está sujeita a acidentes ocasionais, normalmente causados pelo imediatismo que não deixa que eles parem o que estão fazendo para ir ao banheiro.

Então nesse fim de semana ela estava bem acordada, sentada no sofá vendo tv. Eu fui tomar banho e deixei ela na sala tranquilamente. Só que ela estava com vontade de fazer xixi e não foi ao banheiro e acabou não conseguindo segurar e fez no meu sofá novo.................. sim, no meu sofá novinho que ganhei no Natal e do qual morro de ciúmes! Fazer o quê, né?

Respirei fundo 1 milhão de vezes e controlei com muita força de vontade meu tom de voz pra falar pra ela que não é legal fazer xixi no sofá e que quando ela estiver com vontade ela deve ir ao banheiro e depois pode voltar e continuar o que estava fazendo. Mas o estrago estava feito.

Quando Claudio descobriu ficou super chateado porque ele achava que eu tinha deixado ela dormindo sem fralda no sofá. Foi engraçado quando ele descobriu que ela fez acordada, porque metade da raiva dele passou....rsrsrsrs.

Mas mesmo assim ele  ficou reclamando e com razão porque o cheiro ficou forte e ela parece que escolheu a dedo o local onde fazer o xixi (bem onde ele gosta de colocar a cabeça pra dormir).

Então hoje eu fui atrás de como tirar esse cheiro horrível e descobri que a melhor coisa pra tirar cheiro de xixi de sofá (inclusive xixi de animais de estimação) é vinagre. Fiz uma solução de 2/3 de água morna e 1/3 de vinagre e apliquei com um pano úmido, esfregando bem. 



Realmente o cheiro de xixi saiu............ mas o de vinagre ficou! E eu odeio cheiro de vinagre! Passei lavanda Johnson porque li que se pode passar óleo de citronela ou de eucalipto para disfarçar o cheiro do vinagre. Como eu não tinha óleo em casa e também não estava afim de deixar meu sofá sebento de óleo, resolvi testar a lavanda. Foi mesmo que nada! Ô cheiro forte é esse do vinagre......

Aí fui procurar no google o que fazer pra tirar cheiro de vinagre. Fora as piadinhas que sugeriam que só arrancando o nariz fora, encontrei uma pessoa dizendo que o que tira cheiro de vinagre é água. Como eu não tinha mais nada a perder, esquentei um pouco de água e com outro pano limpo esfreguei em cima de onde eu tinha passado o vinagre. Graças à Deus o cheiro ameninzou. Não vou dizer que saiu todo porque se eu enfiar meu nariz no estofado pra cheirar, eu sinto. Mas melhorou consideravelmente. 

Claudio já deitou no sofá depois da minha aventura com vinagre. Eu não disse a ele o que tinha usado para tirar o cheiro de xixi, mas ele disse que o cheiro tinha saído e não reclamou de cheiro de vinagre no sofá. Então acho que a dica está valendo: para tirar cheiro de xixi do sofá use vinagre e para tirar o cheiro de vinagre use água!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 9 de abril de 2011

Parti pra ignorância............

Ontem Julia voltou da escola fazendo birra. Ela não queria vir embora e ficou emburrada e ainda me chamou de boba. Como punição por essa atitude, disse a ela que não passaria na padaria com ela (toda noite ela passa na padaria pra comprar pão). Isso foi o bastante para uma birra como poucas!

Nós entramos no carro e ela começou a gritar que queria ir para a padaria. Mais uma vez eu expliquei o porque não iria, mas a birra continuava. E foi assim do caminho da escola até em casa (são 20 minutos de carro). O que eu podia fazer? Estávamos só nós duas no carro e ela não me ouvia. Então parti pra ignorância.............. ignorei mesmo a birra, fiz de conta que não era comigo, que eu não estava ouvindo nada. Até em casa. Respirei fundo mil vezes, mas fiquei calada!



Quando chegamos em casa, tirei ela do carro, dei um beijo, ofereci água e ela foi se acalmando.  Ela  pediu leite, eu preparei e depois que ela tomou o leite no meu colo se acalmou, então eu fui conversar sobre o acontecido com muita calma. Ela parou pra escutar, não chorou mais e nem contestou e nós fizemos as pazes!

Encarar birra é dureza! E tem momentos em que a paciência vai pro espaço. Com a Julia já percebi que não adianta muito tentar abraçá-la no momento da birra, ela tem que extravasar a raiva e a frustração e o melhor a fazer é ignorar. Depois que ela se acalma aí dá pra conversar e explicar tudo. Claro que dependendo do local, não dá pra deixar ela extravasar o que quiser. Mas aí é pegar no colo e ir embora. É...... vida de mãe não é mole não!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Luto por Realengo

O país inteiro está em luto, consternado. O massacre de Realengo está em todas as manchetes.  Procuramos explicação para o inexplicável, compartilhamos a dor das famílias que perderam seus filhos de forma tão cruel. A morte de inocentes, num local onde deveriam estar seguros e protegidos dos perigos do mundo, choca demais, tira das pessoas a sensação de "controle da situação".

Como é doloroso ver aquele sofrimento todo. Acho que todo pai e toda mãe se coloca no lugar daquelas pessoas. É como um filme de terror, como um pesadelo. A dor deles nunca vai passar, eles apenas vão aprender a conviver com ela........ e as marcas vão ficar pra sempre. Agora estão sendo amparados, mas a saudade maior e a tristeza profunda virão quando esses pais e essas mães tiverem que voltar à vida "normal", à realidade e aí se derem conta de que falta um pedaço do coração deles.



Mas, bem ou mal, a vida continua. E dessas tragédias temos que tirar pelo menos um ensinamento. Vejo muita gente falando em falta de segurança nas escolas. Até acho que a segurança nas escolas merece uma atenção especial, mas esse caso específico não foi um problema de falta de segurança. Com ou sem segurança esse rapaz teria feito o que fez.

O que a sociedade como um todo tem que cobrar das autoridades é atenção à saúde mental. Depressão, dependência química, esquizofrenia......... são tantos os males e cada vez mais comuns.... e todos nós conhecemos alguém que se enquadra na definição que deram para o rapaz: esquisito, calado...

Quantos jovens tem problemas familiares? Quantos tem um lar desajustado onde não encontram acolhimento e amor? Quantos sofrem violência física e psicológica dentro de casa? Quantos sofrem bullying diariamente?

E o emocional desses jovens não está sendo cuidado. Nem pelos pais, nem pelas autoridades. É preocupante o futuro de uma sociedade cada vez mais individualista onde não somos capazes de estender a mão para o outro que precisa de um apoio emocional. É preocupante o futuro de uma sociedade que não tem uma estrutura para dar tratamento sério e eficaz a quem tem problemas mentais. Aliás, só esse nome "problemas mentais" já é motivo para preconceito e para se fazer de conta que não se está vendo. Penso eu que enquanto sociedade e governos não entenderem que a saúde mental é tão importante quanto à saúde física, estaremos totalmente vulneráveis a tragédias assim........
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Adeus à chupeta! (2)

Estou muito, mas muito feliz mesmo com a retirada da chupeta da Julia. Eu já contei aqui como ela resolveu jogar a chupeta no lixo. Claro que eu fiquei surpresa com a decisão dela até porque ela era super "viciada" na chupeta, mas estupefada mesmo eu fiquei com a determinação dela!

Vou explicar: ela jogou a chupeta pra valer! E se orgulha disso! A semana passada foi bem difícil, nos primeiros dias ela acordava durante a noite e pedia a chupeta e aí era um caos pra acalmar. Ficávamos Claudio e eu abraçados com ela, fazendo carinho e  cantando baixinho. E sempre eu fazia questão de lembrá-la que a decisão tinha sido dela e que ela já era um moça e portanto não precisava mais de chupeta. Acho que essa minha atitude foi positiva porque também ensina a ela que as decisões tem consequências e que ela tem que arcar com elas. Mesmo ela sendo praticamente um bebê, já vai se acostumando a refletir sobre o que faz. 

Nós tivemos que dispor de uma dose extra de paciência na semana passada, mas pra falar a verdade, eu estava até me achando no lucro pois enquanto estava acordada, mesmo que estivesse com sono, ela não pedia a chupeta. O problema foi que o sono ficou agitado demais e ela quando acordava à noite pedia e como não tinha mais chupeta, chorava por uns 15 minutos até se acalmar..... confesso que se eu não tivesse jogado as outras chupetas no lixo, eu teria cedido......

Mas tudo isso foi na primeira semana, principalmente nos 3 primeiros dias. Agora já passou. Ela não pede mais de jeito nenhum, o sono já voltou a normal e mesmo que ela acorde de madrugada (já aconteceu) ela não pede mais a chupeta!

O "efeito colateral" da retirada da chupeta foi uma "verborragia" na Julia. Ela virou uma matraca, parece até que a chupeta era uma rolha fechando a boca. E a gente está curtindo demais esse falatório todo e eu aproveito pra saber bastante sobre o dia-a-dia dela na escola, sobre os amiguinhos...

Nela ficou o orgulho de ter conseguido. Ela conta pra todo mundo que jogou a chupeta  no lixo porque é moça e faz isso com um sorriso no rosto.  Estou muito orgulhosa dela. Se eu tive algum mérito, foi somente o de jogar as outras chupetas no lixo na hora certa pra não cair em tentação. Nessa história toda, o mérito foi dela!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 3 de abril de 2011

Voltando a "ser gente"

Ah, como é bom me sentir gente novamente! Nem lembro qual foi a última farra que Claudio e eu fizemos, mas com certeza foi antes do nascimento da Julia. Depois que ela nasceu, as poucas vezes que saímos sem ela, voltamos cedo. 

Mas ontem foi o aniversário de 15 anos da linda Ana Vitória, filha de amigos muito queridos (Rose e Erasmo). Nós conhecemos a Ana Vitória quando ela ainda era uma menininha, foi inclusive daminha do nosso casamento (levou as alianças). Agora já está fazendo 15 anos e o Claudio ficou chocado quando aquela moça veio falar com ele e disse: "oi, tio". Sinal dos tempos.....................

Aliás, eu até perguntei pra uma amiga se ela achava que quando os amigos da Ana Vitória olhavam pra gente, enxergavam duas coroas........rsrsrsrs........... isso porque eu me sinto com 20 e poucos anos. Pensar que essa meninada de 15 anos me acha coroa é demais pra minha cabeça. Engraçado foi ver as fotos da retrospectiva: ela nasceu em 1996 e a gente olhava para as fotos e tinha a sensação que  eram velhas........ parecia que a gente estava vendo fotos dos anos 70 ou 80............ mas foi um dia desses, a gente até já fazia faculdade! Pra terminar de me chamar pra realidade da minha idade, no meio da festa chegou o filho de uma amiga com a namorada à tiracolo........... a namorada! Amiga nossa de nora na festa! Ai meus sais!

Voltando à festa, ela foi maravilhosa! Muito bem organizada e com detalhes lindos que foram cuidados com todo carinho por minha amiga Rose! Nós curtimos com uma turma maravilhosa e animada! Dançamos a noite toda! Claro que pro Claudio dançar, só na base do whisky, mas o bom é que assim ele se solta..........kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Dancei com ele, com os amigos e com as amigas! Fiquei descalça (fazia muuuuuuuuuuuuuito tempo que não fazia isso), o penteado começou a desmanchar, o suor escorria e eu me sentia gente!

Pulei, sambei, dancei forró, axé, rock nacional e tudo mais que a banda tocou. Literalmente "dançando conforme a música" (tá certo que nem sempre era tãoooo conforme assim!). Minhas pernas nem obedeciam mais, mas nada era capaz de me deter! Dancei com o Claudio como no tempo em que namorávamos, coladinhos, olho no olho.

Chegamos em casa às 4 da manhã e fui dormir às 4 e meia. As 8 fui acordada por minha princesa! A ressaca está  monstruosa, mas valeu à pena. Vez por outra a gente precisa sair um pouco do mundo da maternidade exclusiva e fazer um programinha assim. É revigorante!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 2 de abril de 2011

Pai e Mãe rejeitam trigêmeas

Acho que todo mundo ficou sabendo desse caso: casal de classe média alta de Curitiba fez FIV para engravidar mas queria no máximo dois bebês. A gravidez foi de trigêmeos e, após o parto, os pais decidiram levar somente duas crianças para casa. COMO ASSIM???????????

Eu morro e não vejo tudo! Filho agora é mercadoria? Você pega na prateleira e se não estiver satisfeito devolve?????????? Eu fiquei chocada com a notícia, chocada mesmo!

E vou logo falando: em todo canto é frisado que o PAI rejeitou uma das filhas. Mas no meu entendimento a MÃE também rejeitou pois no mínimo ela foi conivente e covarde. Se não concordava com a atitude do marido, que ficasse com as filhas e se separasse do cara. Como ela seguiu o marido, pra mim, PAI e MÃE rejeitaram as filhas.

E o que será que leva criaturas tão mesquinhas a optarem por ter filhos? Sim, porque não foi um acidente, eles fizeram um tratamento caro, doloroso e desgastante pra conseguir a gravidez. Eu penso que eles optaram por ter filhos por puro egoísmo, para se exibirem no que consideram o papel de um casal perante a sociedade. É verdade que a sociedade inteira cobra, mas não deve ser essa a razão para se tomar uma decisão tão importante. No meu encantamento pela maternidade eu não consigo imaginar nem a rejeição de uma criança não-planejada, que dirá de uma (aliás de 3) concebida de forma tão especial.

Pelo que pude entender do caso, eles comunicaram ao hospital que levariam apenas duas crianças e o Conselho Tutelar e o Ministério Público foram acionados e ao casal foi dito que ou levariam as 3 ou não levariam nenhuma e ainda assim, os dois escolheram não levar nenhuma! ABANDONARAM 3 BEBÊS!

Não tenho nem palavras para descrever essa situação e esses "pais". A única coisa positiva que se pode tirar da história é que eles não ficaram com as crianças pra maltratar, porque com esse tipo de caráter, de "amor", com certeza elas iriam sofrer abusos e agressões. Me espanta que não tenha uma avó, uma tia pra se manifestar pedindo a guarda dessas crianças. E o que essas pessoas dizem quando perguntam pelas filhas recém-nascidas? "Ah, deixamos no hospital, não trouxemos pra casa não, são "mercadorias" que não agradaram!"

Sinceramente, acho que esse casal deveria sofrer esterilização pra ser impedido de ter outros filhos e também deveriam sustentar as 3 meninas até a maioridade mas sem poder ter qualquer contato com elas! Mas a maior punição pra eles vem de Deus! Eles desdenharam do maior milagre que Deus pode fazer na vida de um ser humano: gerar um filho! 

Agora é esperar que a justiça seja feita e que o casal não recupere a guarda das meninas (eles "se arrependeram") e também que um casal bacana, equilibrado e com muito amor pra dar possa acolher as 3 como se nada disso tivesse acontecido. Elas merecem!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...