segunda-feira, 6 de junho de 2011

Aprendendo a lidar com dinheiro

Coisa difícil é lidar com dinheiro. Economizar quando a gente vê tanta coisa linda pra comprar é dureza. E pior que agora não precisamos nem sair de casa, os produtos invadem nossa casa pela internet, fácil demais comprar, só clicar!

Eu não me considero uma pessoa consumista, acho que sou relativamente controlada (mão de vaca, na verdade), mas confesso que acho difícil me planejar, guardar dinheiro com um objetivo....... nesse quesito acho que o Claudio dá de 10 a zero em mim, apesar de achar que ele é mais consumista. Aparentemente é uma contradição, mas é que ele tem mais desejos por bem materiais caros (agora mesmo só fala em trocar de carro), gosta de novidades eletrônicas mas por outro lado ele consegue ver longe e se planejar. Sempre tem dinheiro "embaixo do colchão".

No final, como dupla, acho que nós fazemos direitinho, temos um equilíbrio. Essa é a parte fácil, a parte difícil é ensinar isso à Julia.

Ensinar a economizar, a dar o devido valor ao dinheiro (nem mais nem menos do que ele merece), ensinar a não ser consumista............... eita que é tarefa demais! No mundo consumista em que vivemos, a gente acaba se contaminando, seduzidos pelas propagandas e pela facilidade em comprar, até sem sair de casa... agora imagina isso em cima das crianças! E os canais de programação infantil tem propaganda demais! A Julia às vezes para o que está fazendo para ver determinadas propagandas. Até agora ela não tem pedido os  brinquedos que vê na tv, mas acho que é porque ela ainda não entendeu que se pode comprar (no sentido que estão à disposição, desde que se tenha dinheiro) e eu evito andar em loja de brinquedos com ela. O que ela pede é pra ir ao Beach Park porque ela já entendeu que é possível pra ela.

Mas fico preocupada em como ensiná-la a ter uma relação saudável com o dinheiro. Com certeza ela vai ter uma mesada quando estiver um pouquinho maior e entender o conceito de dinheiro. No fim de semana ela ganhou um cofrinho da minha sogra e passa o tempo pedindo dinheiro a todo mundo.....rsrsrsrsrs........ mas por enquanto vou dando moedinhas já que ela está curtindo sentir o porquinho mais pesado e adora colocar dinheiro dentro dele. Quando estiver cheio vamos quebrar e levá-la para gastar como quiser (e o dinheiro der).



Outro dia o Claudio me mandou por email um texto da Icatu sobre dicas para educação financeira para crianças. 

Crianças e Finanças 

Quando se trata de crianças e finanças, a questão não é só a mudança no orçamento doméstico, mas também como ensiná-las a lidar com dinheiro. Este talvez seja o maior legado para seus filhos, pois de nada adianta deixar uma grande soma de herança se eles não souberem administrar o que receberam.

Bê-a-bá sobre finanças para crianças:

1- Gaste dinheiro só depois que recebeu.
Parece simples, mas criar seu filho com este conceito muito bem estabelecido vai ajudá-lo a ser um adulto sem dívidas.

2- Considere uma mesada.
Quando as demandas por compras aumentarem, seja por brinquedos, roupas, tênis ou saídas com os amigos, é hora de seus filhos começarem a pensar no próprio orçamento. Estipule uma mesada e dê conselhos sobre poupança para que eles façam as próprias escolhas de consumo e planejem compras de valor mais alto no futuro, mas nunca com mais dinheiro.

3- Não faça dessa conversa um tabu.
Educação financeira é como escovar os dentes, quanto antes seu filho aprender a lidar com dinheiro, mais cedo se tornará um hábito. Converse sobre receitas e despesas sem cerimônia.

4- Não é preciso ter muito dinheiro para ensinar seus filhos sobre investimentos
O dinheiro tem um valor no tempo, por isso, não basta guardar dinheiro. É preciso saber investir seus recursos de forma que eles não percam seu poder de compra. O conceito do investimento em ações, quando você é sócio de uma empresa, e o de poupança são fáceis de entender por uma criança.

5- Em algum momento você terá que dizer aos seus filhos que o banco “papai” fechou.
Haverá um momento em que seu filho precisará cuidar do próprio sustento. Será bom para ele e também para você, que precisará ter foco na aposentadoria que já estará mais próxima quando seu filho for adulto.

Mas para fazer tudo isso que está dito acima, primeiro temos que nos educar, né?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

Dayse disse...

Bom, vale à pena a reflexao, mas nossos babies ainda sao pequenininhos... rsrsrs...a partir dos 6 anos, acredito q temos q começar a dar as primeiras noçoes...:))) A questao da mesada é bem relativa, eu sempre tive desde os 7/8 anos e minha irma tb, porém eu nunca tive problemas financeiros, raramente estive no vermelho, ao contrario da minha irma, q gasta 3X o q ganha pq sabe q tem a mamae pra socorrer... Enfim, a educaçao é super importante, mas se a criança tiver o perfil de consumista descontrolado, estamos perdidas, rsrsrsrs

Syl disse...

Ai, Dayse, nem me fale em perfil consumista......... a Julia às vezes me parece ser assim..... por isso quero começar a dar noções de dinheiro e finanças pra ela cedo, de acordo com o que ela tem condições de entender porque creio que começando a incutir alguns hábitos cedo, fica mais fácil "domar" o monstro do consumo. Já fazia algum tempo que eu queria dar um cofrinho a ela e o presente da minha sogra veio a calhar!