quinta-feira, 30 de junho de 2011

Psicopatas na pele de pai e mãe

Fiquei sabendo de dois casos que me deixaram chocada: duas crianças se desentendem na escola e os pais de uma ameaçam a outra. Isso mesmo, os pais ameaçam o(a) coleguinha do filho(a). Para mim, são nada mais nada menos que psicopatas.

O primeiro caso já faz um tempo que soube, as crianças deveriam ter por volta de 8 ou 9 anos e uma esbarrou na outra ao se virar. No dia seguinte, o pai do que foi "agredido" invadiu a sala de aula para bater no "agressor". Eu conheço o "agressor" e ele é um doce de menino, incapaz de bater num colega de propósito. E a professora, que presenciou o caso, disse que de fato não foi intencional, ele foi se virar e não viu o colega.

O segundo caso eu soube fim de semana passado: em uma reunião de pais, a mãe de um colega foi falar com a mãe do outro, perguntando o que estava acontecendo que o colega todo dia batia no filho dela. A mãe do suposto "agressor" disse que estranhava muito essa informação pois a escola não tinha passado nada a esse respeito pra ela e a escola sempre passava tudo. A mãe da criança "agredida" então disse que o marido dela já estava ficando irritado com a situação e que estava vendo a hora ele "pegar" o filho da outra como já havia feito com um outro coleguinha. A idade das crianças: 6 anos.

Imagem retirada de thebagsblog.blogspot.com

Eu fiz uma cara de espanto, sem acreditar no que estava ouvindo. Como é que uma mãe ameaça outra criança e ainda diz com todas as letras que o marido dela vai "pegar" a criança?! Isso é covardia no mais alto grau além de uma total falta de senso. O resumo da história é que a criança "agredida" estava mentindo e não é a primeira vez que faz isso. Sinceramente, se fosse com a Julia, o mínimo que eu faria era um B.O. e corria o grande risco de eu meter a mão na cara do desgraçado.Eu não bato na minha filha e não admito que ninguém bata. Pra bater nela tem que bater em mim primeiro. E, se bater em mim, apanha porque eu não sou de levar desaforo pra casa.

Feito o meu desabafo, passada a raiva (na hora eu tive vontade de tomar as dores e ir "peitar" o cara), eu fico impressionada como as pessoas não entendem que faz parte do desenvolvimento das crianças brigar, bater, morder, apanhar, ser mordido........... não estou falando de bullying, isso é outra coisa, mas de intercorrências normais no dia-a-dia das crianças. Elas devem se resolver (a não ser que haja uma grande diferença de idade, porque aí entra a questão força) e os adultos não devem ficar tomando as dores por qualquer coisinha. Claro que se isso se torna algo repetitivo, se uma criança sempre bate ou morde a outra, aí sim tem que se tomar providências. Junto aos responsáveis.

Jamais chegar numa criança ameaçando.  Se for na escola, uma boa conversa com a professora e com a coordenação deve resolver o caso. Se necessário conversar até com o pai e com a mãe, mas nunca, nunca mesmo, ameaçar ou agredir a criança, é uma questão de bom senso. Será que isso é tão difícil assim de entender?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

Sarah disse...

A-B-S-U-R-D-O!!!!
INDIGNADA,
Sarah

Syl disse...

É de indignar mesmo! O pior é que essas são as pessoas que estão "educando" a nova geração... Meu sangue ferve quando vejo esse tipo de coisa!