segunda-feira, 25 de julho de 2011

Desculpa, mãe.............

"Desculpa, mãe...." essa é, talvez, a mais frequente frase da Julia. E isso me atormenta porque ela sabe como fazer....... a voz é manhosa, chorosa.......

Normalmente ela pede desculpas depois de ter sido chamada atenção e vem me dando um abraço. Eu fico pra morrer com aquela vozinha e com aquele biquinho, mas trato de me lembrar que essa cena acontece depois de eu ter pedido pra ela fazer/não fazer algo por 1 milhão de vezes e ela não ter me atendido....... a consequência é que eu me zango e ela pede desculpas (e muitas vezes volta a fazer o que estava fazendo). E o pior é na maioria das vezes eu me sinto culpada por brigar com ela....... e quando é de forma repetitiva então, eu só falto morrer!

Imagem retirada de: baixaki.com.br

Nós costumamos dizer a ela com frequência que pedir desculpas e voltar a fazer a mesma coisa não adianta, mas parece que as palavras não têm surtido efeito. Eu sei que nessa idade, esse tipo de coisa, eles não assimilam na primeira vez..... mas e na milésima? Já dava pra começar a assimilar, não? Sinceramente, não sei mais como fazê-la entender isso. Porque ela entendeu que quando se faz coisa errada ou quando se magoa alguém, se pede desculpa, mas está usando isso de forma errada............. porque pede desculpas pra gente não brigar ou não colocar de castigo, mas logo depois volta a fazer o que não devia. O pedido de desculpas dela é como o "pedir penico" da minha infância........... mas como ensinar que quando pedimos desculpas estamos reconhecendo nosso erro e assumindo a responsabilidade por suas consequências e nos comprometendo a não repetir mais? Como ensinar que o pedido de desculpas deve surgir de um sentimento maior que é a empatia pelo outro?

Tá, eu sei que a Julia só tem 3 anos, mas acho que desde cedo devo incutir essa percepção nela. Entender que o mundo não gira ao nosso redor e que tudo que fazemos tem consequências (boas e/ou ruins) e que devemos arcar com elas e que temos que ter humildade para reconhecer nossos erros (ufa!), faz parte do pacote de ensinamentos que quero passar pra ela. Fácil? Não, difícil demais, não sei nem por onde começar, mas vou descobrir! Vida de mãe, né?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

Sarah disse...

Eu reconheci esse olhinho do gatinho do Shrek... kkkkk
Vejo demais aqui em casa!!!
Beijos,
Sarah

Syl disse...

Esse olhinho mata a gente, né Sarah........

Testes da mamãe disse...

OLá, adorei o seu blog, tenho um filho de 11 meses, criei um a pouco tempo dá uma olhadinha lá,o endereço do blog é: http://testesdamame.blogspot.com/
tem testes de produtos de bebe. dicas, entre outras coisas,estou te seguindo agora, se puder retribuir, aguardo uma visita!! abçs

Syl disse...

Oi, querida, obrigada! Já estou te seguindo tb, vamos trocar idéias e dicas! Bjos!

Dayse Rocha disse...

Sylvia, criança é tudo igual. Gaël faz a mesma coisa que a Julia, eu peço com calma, eu repito a mesma coisa 3X , depois eu me estresso, grito, brigo e se nao resolve eu bato, MAS NAO ME SINTO CULPADA NAO, e te juro q nao sofro, pois penso logo q se eu nao fizer isso, vou estar criando um monstrinho, q qdo for adulto vai estar me desrespeitando ou até me maltratando....temos q cortar as asinhas destes anjinhos desde cedo, senao seremos nos q vamos arcar com as consequencias mais adiante...

Syl disse...

Ah, Dayse, pois eu sou um poço de culpa. Ás vezes, na hora que estou brigando, engrossando a voz, já estou me sentindo culpada e jurando pra mim mesmo que vou ter mais paciência....... Eu nunca bati na Julia e pretendo não bater, é um acordo que tenho comigo mesmo, mas sei que vou ter muito trabalho para "cortar as asinhas". Deus nos ajude nessa tarefa difícil! Não é brinquedo não!