quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A Princesa e o Príncipe

Era uma vez, uma princesa muito bonita, de lindos cabelos dourados e cacheados, que vivia em seu palácio à espera de um príncipe. Um dia, um belo príncipe, de cabelos também dourados e grandes olhos verdes, veio de uma terra muito distante conhecer a princesa e os dois foram felizes para sempre durante uma semana, brincando muito e fazendo muita bagunça por onde passavam.

Essa é a história da Princesa Julia e do Príncipe Peter. Começamos a chamá-los assim porque a Julia, do alto dos seus 3 anos e vivendo intensamente no mundo da imaginação, se dizia a princesa do príncipe papai. Além disso, sempre que vamos a um casamento, ela diz que é o casamento da princesa (isso porque viu o casamento do príncipe William comigo). Aí tínhamos o casamento de uma prima pra ir ela disse que também ía se casar com o príncipe papai. Eu fui explicar que não, que o papai era meu príncipe e que quando ela crescesse ela ía encontrar o príncipe dela e aí sim ela iria casar. Pra que eu fui falar isso? Ela abriu o berreiro dizendo que queria casar logo (assanhadinha, né?) aí eu, pra me livrar do choro, falei que ela ía conhecer o príncipe Peter (filho da minha prima) no casamento da tia Roberta. Então ela passou a dizer pra todo mundo que o Peter era o príncipe dela e ele também começou a dizer que a Julia era a princesa dele. Mas, quando ele "queria casar" ela não queria e quando ela queria, ele não dava bola!



Não, eu não estava incentivando minha filha a "namorar". Ela não tem idade pra isso e  nem encarou dessa forma. Mas acho legal ela vivenciar a fantasia das histórias de princesa, acho que faz parte do desenvolvimento dela da mesma forma como ela dizer que é a Smurfette ou brincar de mãe ou professora das bonecas dela, ou se maquiar para me imitar. Eu também tinha meus "príncipes" quando era criança e nem por isso pulei etapas. Lembro até de um coleguinha que todo dia me acompanhava até o carro na saída da escola. Quando chegava lá ele me dava um beijo no rosto e minha mãe pedia um beijo no rosto dela também, pra quebrar qualquer tipo de insinuação de namoro, era algo bem infantil, bem puro mesmo.

Resumindo, Julia e Peter passaram uma semana inteira na maior farra, na maior brincadeira, curtiram muito a presença um do outro. Julia não foi à escola durante toda a semana que ele esteve aqui: achei que era válido, eles quase não tem oportunidade de se encontrarem e estavam se dando muito bem. E é tão bom essa convivência em família, né? Eu tenho ótimas lembranças das férias quando ía pra casa da mãe dele e apesar da distância (sempre moramos muito longe uma da outra) ela e a irmã dela são primas muito próximas. Agora o príncipe voltou pra casa e com certeza vão sentir saudades um do outro, mas, quem sabe, nas próximas férias, eles se encontram novamente para brincar?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

Sarah - Overdosede Esmalte disse...

Eu acho muito linda essa amizade entre primos! E essa fantasia toda deixa tudo mais mágico, né?
Bom demais!

Beijos,
Sarah

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Eu também acho essa amizade linda e procuro sempre incentivar. Eu tenho ótimas lembranças dos momentos passados com minhas primas e primos!