terça-feira, 11 de outubro de 2011

Coisas difíceis de explicar...

Outro dia estava pensando como é difícil explicar certas coisas às crianças. Às vezes queremos poupá-las da realidade, às vezes o entendimento delas ainda não é o suficiente para compreender e  às vezes ficamos envergonhados mesmo em dar certas explicações. Julia ainda não me deixou encurralada com nenhuma pergunta "cabeluda", a pior que ela me fez foi "o que é isso?" apontando para o sangue no meu absorvente e eu respondi: "a mamãe está menstruada, quando você crescer você também vai ficar" e ela se deu por satisfeita. Entretanto, tenho me visto sem saber como explicá-la porque a vovó Ecilda não acompanha as brincadeiras dela.

A mamãe tem Alzheimer e já não interage com a gente da mesma maneira e nem obedece mais a comandos. Então, se a Julia diz pra ela segurar uma boneca ou jogar uma bola, a avó permanece parada, olhando para o nada. É triste demais vê-la assim e é complicado contornar com a Julia porque ela pensa que a avó não quer brincar com ela, chora, fica zangada, se frustra............

Imagem retirada de: comumtoquederosa.blogspot.com

Aí resolvi dizer pra Julia que a vovó já está bem velhinha e que a cabecinha dela já está gasta e que por isso ela às vezes não entende o que a gente fala. Não sei se fiz certo, mas não sabia como explicar o que é Alzheimer para uma criança de 03 anos. Ora, se eu, do alto dos meus 35 anos não entendo como uma pessoa tão ativa, tão independente, com um bom nível cultural, que era professora universitária ficou assim, como vou explicar para a Julia?

É um abismo enorme entre neta e avó. Uma está evoluindo a cada dia, a outra, involuindo. Uma aprende com uma facilidade incrível e vai conquistando sua independência enquanto a outra depende dos outros até para comer. Uma tem a vida inteira pela frente e a outra tem alguns anos (?) com uma qualidade de vida muito questionável do ponto de vista de realizações pessoais, de vivências. E no meio estou eu, tendo que cuidar das duas, que organizar a vida das duas e tendo que aprender a conviver com todas essas diferenças... tento encarar como se a mamãe fosse uma criança (até porque não reconheço mais minha mãe naquela idosa frágil e dependente), mas não é fácil..... Se alguém tiver uma sugestão de como posso explicar à Julia o porque da vovó não brincar com ela, estou aberta a sugestões!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

Lianna disse...

Sylvia,

Que difícil amiga! Imagino quanto você sofre com essa situação. Mas, não se preocupe sei que a Júlia vai entender isso sim, viu! "A vida ajuda a criar" - essa é uma frase que minha sogra me diz muito e quando me vejo em dificuldades na educação da Giovana, essa frase sempre me conforta.
Quero que saiba que estou sempre por aqui, viu? Se precisar de qualquer coisa pode contar comigo...
Beijão

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Amiga, obrigada por seu apoio! Olha, eu também acho que ela vai terminar entendendo sabe? Mas às vezes me angustio, acho que pelo fato de eu mesma não compreender o porque da doença! Mas enfim, são as coisas do mundo que a gente não tem como evitar e Julia vai ter que aprender a conviver com diferenças e limitações, dela e dos outros, né? Bjos!

- Futura mãmã ! disse...

Oi querida..Imagino como e dificil mesmo... va explicando para ela mesmo. ela ira entender cada dia que passa um pouco mais do porque da sua avo estar assim , nao respondendo a forma da neta!
Se para nos e complicado para uma pequena de 3 anos nao da mesmo para entender... :S
Com o tempo a situaçao da sua filha perante avo melhorara...
Beijo e força


Me visite se gostar torne-se seguidora mas nao deixe de comentar e dar sua opiniaoo :D

Futura mama

Dayse disse...

Oi Sylvia, depois de ler o seu post fiquei pensando se fosse com a minha mae e o Gaël.Do jeito q vc tentou responder à Julia, mesmo achando q ela nao tenha entendido muita coisa, eu teria feito o mesmo com Gaël.Nao gosto de deixa-lo sem respostas,tento responder tudo de forma mais simples possivel, mesmo achando q as vezes ele nao entenda.... Nesta semana, ele viu o meu album de casamento, viu todo mundo nas fotos, menos ele e veio a fatidica pergunta: Mamae, onde ta o Gaël? Eu respondi: quando mamae e papai se casaram, Gaël nao tinha nascido ainda... Ele nao entendeu e me fez a mesma pergunta umas 5X, rsrsrsrsrs.... tentei explicar de outra forma, dizendo q ele nasceu depois do casamento da mamae e do papai.... nao adiantou muito, pq ele ainda nao entende o sentido da palavra nascer... enfim, mas respondi.... Acho q sobre o Alzeimer, talvez eu diria ao meu filho q a vovo ta doente( tentaria fazer uma analogia ), mas nao ta doente da barriga, nao ta com dodoi na garganta ou no pé, que o dodoi da vovo é na cabeça e que por isso ela esquece das coisas, enfim, o importante é a Julia entender q a vovo ta doente e q nao brinca com ela por isso, e nao pq nao gosta mais dela... Amiga é dificil a sua situaçao, mas desejo muita força e sabedoria para saber lidar com suas 2 crianças amadas, a mamae e a Julinha. Bjs

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Futura mãmã, seja bem vinda! Fico mesmo esperando que a cada dia que passe a Julia entenda melhor. Tem dias que ela nem se liga, mas tem dias que se frusta bastante....... mas enfim, vamos levando! Bjos!

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Dayse, penso como vc: o importante é não deixar sem explicação. Tem dias que a Julia não se liga sabe? Mas às vezes quando eu menos espero ela faz menção ao problema da avó. Outro dia eu estava conversando e não sei bem o que falei sobre a mamãe em relação a ela pois na mesma hora a Julia virou pra mim e disse: "mas a vovó Ecilda não fala nada....."

Eu fiquei impressionada com a percepção dela porque com a Julia a mamãe ainda tenta se comunicar. Não fala nada muito compreensível, mas balbucia algumas palavras e ri muito pra ela.....

Mas vou tentando levar da melhor forma possível, fico com muita pena pq provavelmente Julia não vai ter muitas lembranças gostosas com a avó..... mas fazer o que, né?

Beijos!