segunda-feira, 7 de novembro de 2011

O dia que minha mãe não me reconheceu

Já falei aqui que a mamãe tem Alzheimer. Não é nada fácil lidar com isso, principalmente porque eu não aceito, acho uma grande injustiça da vida com ela, comigo, com meu irmão..... Além disso, tem as dificuldades naturais da doença e tem horas que tenho vontade de correr pra longe de tudo isso.

Muitas pessoas a mamãe já não conhece. Na verdade, ela só conhece as pessoas do dia-a-dia dela. Muitas vezes eu chegava na casa dela e ela trocava meu nome, me chamava pelo nome de uma das irmãs dela. Outras vezes, me chamava de mamãe. Mas no fundo acho que ela sabia sim quem eu era, só não conseguia se expressar.

Ontem, estive lá durante a tarde. Eu fiquei na varanda conversando com minhas tias e a mamãe estava lá, sentada ao meu lado o tempo todo. Aí me levantei e fui até o quarto porque a Julia estava me chamando. Ela foi também e a cuidadora dela perguntou, na minha frente, se ela tinha gostado porque a filha dela estava lá. Ela disse que eu não estava, que não tinha me visto. Eu então perguntei a ela "e quem sou eu?" Ela olhou pra mim e disse: "não sei."

Imagem retirada de: bbel.uol.com.br


Aquilo me doeu no coração. Porque antes ela ou dizia meu nome ou dizia que eu era filha dela ou que era mãe dela. Mas agora ela simplesmente disse que não sabe quem eu sou.... Minha tia comentou que ela reclamou que fazia muito tempo que não me via. Minha tia, sabendo que a semana passada inteira eu fui almoçar com ela, disse: "mas ela não veio almoçar com você na semana passada, todos os dias?" Ela afirmou que não, que eu não tinha ido lá. Me dói muito saber que eu vou lá e ela não sabe quem eu sou. Até acho que ela sabe que sou alguém que tem uma relação especial com ela, mas vejo que isso tem ficado cada dia menos claro na mente dela. Eu falo com ela quando chego e ela fica apática, mas as cuidadoras sempre falam que quando eu chego ela fica mais calma. Muito triste ver minha mãe assim...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 comentários:

Sarah disse...

Poxa... (nem) imagino o seu sofrimento!!
Só desejo muita força nessa caminhada. Ela pode não te reconhecer em alguns momentos... mas com certeza lá dentro dela algo deve mudar quando vc esta la. Filhos fazem milagres com a gente... sempre!

Beijos!
Sarah

Dayse disse...

Sem palavras Sylvia...
Nao deve ser facil pra vc, mas deve ser ainda pior pra ela...

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Sarah, obrigada pela força, amiga. Vc sabe bem os perrengues que passo.... Eu procuro pensar exatamente isso: que lá dentro ela sabe.......

Beijos

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Dayse, não gosto nem de pensar no quanto isso é ruim pra ela. Eu cresci ouvindo minha mãe dizer que jamais queria ficar pelas mãos dos outros. Vê-la assim é terrível...... eu torço muito mesmo para que ela não tenha mais consciência do que acontece com ela. No começo da doença, às vezes ela fica deprimida porque percebia o que estava acontecendo. Uma vez cheguei na casa dela e ela estava chorando dizendo que queria morrer. Mas agora acho que ela não tem mais a percepção tão aguçada não....

Beijos

Dani Mãe da Sophia... BH,MG disse...

Oi Syl... é minha primeira vez aqui. Pois conheci o link do seu blog através de um comentário que vc publicou em outro blog.
Eu conheço pessoas que tiveram Alzheimer e sei que a luta é constante. A madrinha da minha mãe teve e graças a Deus vivia numa pequena cidade de 2000 habitantes e todos a conheciam. Pois as vezes saía para a rua e não sabia voltar. Aos poucos foi desconhecendo todos nós, amigos próximos, parentes e filhos.
Não senti na pele o que é mas imagino que seja muito difícil lidar com a situação. Conte para sua mãe de momentos que passaram juntas no passado. As vezes funciona para que ela se lembre de algo... Abs e que Deus os dê força para lidar com essa doença.

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Oi Dani, seja muito bem vinda! Eu procuro conversar com a mamãe sobre as coisas boas do passado, mas até isso é difícil pois ela quase não se comunica mais, só fala frases na maioria das vezes desconexas e muitas vezes de uma palavra só.....
Mas o pouco que ainda dá, eu curto a presença dela.

Obrigada pelo carinho, beijos!

Anônimo disse...

Minha mãe esta exatamente no mesmo estagio da sua. Sei que ela me ve como uma pessoa especial para ela apesar de nao saber dizer meu nome. Minha mae sempre gostou muito de musica, principalmente bossa nova e aquelas antigas do Frank Sinatra. Ajuda muito. Ela sorri e ate consegue lembrar das letras. : ) Ela foi professora do Edu Lobo no primario, pego o song book que ele mandou para ela e cantamos juntas....
Ana Beatriz