quarta-feira, 30 de maio de 2012

As Paixões da Infância

Julia está apaixonada! Antes que alguém pense que ela está precocemente adultizada, deixa eu esclarecer: é uma coisa totalmente pura, ela não sabe nem o que significa paixão.

Ela sempre gostou muito do primo, o Artur, mas a relação deles sempre foi de amor e ódio. Se amavam mas brigavam feito cão e gato e, se a gente separava um do outro, pediam pra ficar perto novamente. Mas ultimamente eles têm ficado só na parte do "amor" da relação. Brincam juntos numa boa e a Julia curte muito a companhia dele. De uns tempos pra cá, além de curtir brincar com ele, ela fala que vai casar com ele. COMO ASSIM CASAR????? 

Na verdade, casar pra ela, é dançar com o par uma valsa, como ela vê os príncipes e princesas dos contos de fadas fazendo. Inclusive vez por outra ela chama o pai pra "casar" com ela. Eu explico pra ela que pra casar tem que ser adulto então ela fala que vai "casar" com o Artur quando crescer. Só falta avisar pra ele, né?

Bom, o Artur é apenas uma das paixões dela. A outra é o Gustavo, amiguinho da escola. Eu descobri por acaso, conversando com ela. Estava perguntando pelas amigas dela e perguntei com quem ela havia brincado aquele dia e ela disse o nome das amigas e me falou quais as que ela mais gostava (muda todo dia porque de fato ela não tem só uma amizade na sala, se dá bem com todas as meninas, segundo a professora). Aí de repente ela me solta: "mamãe, o amigo que eu mais gosto é o Gustavo." Eu perguntei porque e ela respondeu: "porque ele é o menino mais bonito de todos!". O interessante é que em relação ao Gustavo ela não muda de opinião. Em outra ocasiões perguntei de forma despretenciosa e ela continuou com o mesmo discurso: ele é o mais bonito.

Imagem retirada de:
comunidade-amiga.blogspot.com

Eu não fico incentivando mas também não corto o barato dela. Acho que isso faz parte do desenvolvimento normal das crianças. Claro que é bem diferente da criança que quer namorar e leva isso a sério. Aqui estamos falando apenas de admiração e afinidade entre duas crianças e a palavra amor é usada num contexto de pureza, carinho e amizade. Não existe um relacionamento diferenciado entre eles e nem qualquer tipo de compromisso. E o que vou fazer a respeito das paixões dela? Vou apenas guardar as lembranças das primeiras paixões, para contar a ela no futuro. Com certeza, renderão boas risadas!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

Myriam Scotti disse...

Será que meninas despertam para as "paixões" primeiro que os meninos? Espero que sim...porque sou muito ciumenta e não quero nem pensar em ouvir o Daniel encantado por uma amiguinha da escola!! Rsrsrsrsrs...acho bom eu me preparar!!!

Ich, Hausfrau disse...

Essa paixão infantil é uma graça né! Meu sobrinho de 5 anos tem suas paixões e se vê que é algo tão inocente... bjo

Cristiane disse...

O Bruno é super desligado, acho que as meninas são mais maduras. Cris

Umbigos disse...

Espera só até eu apresentar o Antonio pra ela....rsrsrs. As crianças são deliciosas né??? Nós é que somos apaixonadas por elas!

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Meninas, obrigada pelos comentários. Para as mamães ciumentas de meninos de plantão eu digo que acho sim que as meninas despertam mais cedo pra isso, afinal o mundo delas é cheio de princesas que "casam com o príncipe e vivem felizes para sempre", né?

Mas uma hora, as paixões de infância chegam, viu? Mas vamos curtir!

Beijos

Chris Ferreira disse...

Ai gente,
que coisa mais fofa! A Sofia tem um amor de infância também. Mas eu não posso contar, segundo ela!
Beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/