terça-feira, 9 de abril de 2013

E o ciúme já chegou por aqui

Sim, já faz algum tempo que o ciúme já chegou por aqui. De forma leve, algumas vezes quase imperceptível, ele vem se mostrando e me dando uma pista de como vai ser depois que a Alice nascer.

Logo quando descobrimos a gravidez, Julia começou a faze xixi na cama todas as noites além de estar com o sono agitado, me fazendo levantar várias vezes durante a noite. Não me restava nada a não ser ter paciência pra esperar o impacto da notícia passar e o xixi de todas as noites acabar. Depois de 1 mês mais ou menos, superamos essa fase, amém!

Ao mesmo tempo, Julia começou a ficar também mais sensível. Ainda está. Não se pode falar nada com ela, chamar atenção por nada, que ela cai no choro mais sentido do mundo. E quando o pai sai pra trabalhar no fim de semana? O drama é infinito... e haja paciência!

Agora Alice começou a ganhar alguns presentinhos. Esse fim de semana ganhou de amigos queridos um conjuntinho lindo e sapatinhos. Julia assim que viu perguntou de quem era e mesmo sabendo que era da irmã, quis ver se cabia nela. Mais de uma vez pra ter certeza! Tentou calçar o sapatinho (ó céus, vai alargar o sapatinho!), mediu por fora com o pé dela, tentou, tentou e eu tive que intervir argumentando que era o único sapatinho que a Alice tem e que como o pé dela é muito maior, se ela insistisse em calçar, ía estragar o sapatinho da irmã...




Mas o mais engraçado é a reação dela em relação a outras crianças comigo. Ela nunca foi de ter ciúmes. As amigas podiam me beijar, sentar no meu colo que ela não se importava muito. Mas agora, qualquer amiga que se aproxime de mim parece que gera um sinal de alerta. Quando vou deixá-la ou pegá-la na escola, por exemplo, se ganho um beijo de alguma amiga dela, ela me puxa e me dá um beijo, como se estive demarcando território, como quem diz "a mãe é minha, viu?"

E de fato deve ser difícil pra ela esse momento. Um dia estávamos aqui em casa e enquanto ela brincava, eu estava fazendo unhas e assistindo novela. Depois de um tempo, ela sentou na frente da tv e começou a assistir a novela também. Eu então pedi pra ela ir brincar na varanda (onde eu poderia vê-la) mas onde ela não iria ficar vendo a tv. Ela não quis ir. Eu insisti e ela pegou a boneca, a bolsinha que estava usando na brincadeira, armou um bico e as lágrimas começaram a escorrer pelo rostinho dela. Parei tudo que estava fazendo e a chamei para meu colo. Depois de muita conversa, perguntei se ela tinha medo que quando a Alice nascesse eu deixasse de gostar dela. Ela disse que sim (facada no meu coração) e eu fui então conversar muito com ela e explicar que meu amor por ela jamais vai acabar. E desde então tenho tido o cuidado de reforçar essa idéia sempre que surge a oportunidade. Não quero minha menina sofrendo, fantasiando coisas que não existem pelo simples medo do desconhecido. A chegada da irmã tem que ser um momento de alegria pra todo mundo, principalmente pra ela! 

Eu estou imaginando que quando a Alice nascer, Julia vai regredir um pouco, ficar mais dengosa. Acho que vai ser louca pela irmã, de ter ciúme quando alguém chegar perto, de defender a e cuidar da irmã, mas acho que vai me dar trabalho, exigir mais minha presença e minha atenção. Não vai ser fácil pra mim, mas acho que dou conta. Só o tempo dirá se estou certa...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

Myriam Scotti disse...

Syl, fácil não vai ser, mas, vai passar e a Júlia vai amar ter uma irmãzinha. Comigo foi assim tb! Travei um embate com a chegada da minha irmã e regredi muito. Até entrar no berço na hora em que minha mãe ia colocá-la pra dormir, eu fazia. Meus pais tiveram que ter muuuita paciência comigo. Aos poucos, fui vendo que eu continuava sendo amada igualzinho, só que agora tinha alguém a mais pra compartilhar esse amor. Tudo vai entrar nos eixos com o tempo! Beijos!