quinta-feira, 16 de maio de 2013

Cadê o bebê que estava aqui? Agora tem 5 anos!

É chavão, mas o tempo passa rápido demais pra pai e mãe. Minha bebê, aquela que era um pacotinho indefeso, toda enroladinha na manta, que só dormia e comia, cresceu. E rápido. Rápido demais pro meu gosto...

Julia hoje está completando 5 anos e me é impossível não voltar no tempo nos dias que antecedem o aniversário dela e me lembrar dos últimos dias antes de seu nascimento. Da ansiedade, do cansaço, da felicidade... tanto sentimento bom misturado! Coloco ela no colo pela manhã, sonolenta, e tenho a sensação de ter meu bebê nos braços, até ela protestar e dizer que não é mais bebê. Observo seu sono e acho que ela está enorme (embora seja a menor da turma dela). Fico boba de como está sabida, inteligente, cheia de argumentos! Explica tudo detalhadamente, quer entender da vida e do mundo que a cerca.

Imagem retirada de: http://ofantsticomundodeesdras.blogspot.com.br

Conversa bastante, fala pelos cotovelos, na verdade. Requer atenção, se acha uma artista: canta, dança, atua! Adora palco e palmas (até pra comer). Dá um trabalho enorme pra comer, é teimosa, desobediente e ao mesmo tempo um doce de criança, que não me dá grandes trabalhos e é super companheira. 

É boa aluna, interessada, todo dia chega em casa com uma novidade da escola. Me surpreende com sua capacidade de trazer pra vida real o que vê na teoria na escola.

É alucinada pelo pai, brinca de casar com ele, olhando pra mim com arzinho de superioridade, como quem está tomando meu príncipe. Adora se aconchegar com a gente, é chameguenta, beijoqueira (beijosa, como ela diz), brava, valente, meiga, ciumenta, vaidosa, moleca...

Julia, você é uma criança encantadora! Mamãe tem muito orgulho de você, pelo que você é porque muito disso é mérito exclusivamente seu! Que Papai do Céu te abençoe sempre e que você siga no caminho do bem! Cresça, ganhe asas, seja feliz e lembre-se sempre que meu colo é seu, a toda hora, em qualquer momento! Te amo!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 6 de maio de 2013

"Mamãe botou um ovo"

Já falei aqui, aqui, aqui e aqui dos questionamentos da Julia sobre de onde vem os bebês e que isso se intensificou com minha gravidez. Depois de vários momentos de pânico com as perguntas e de ficar me sentindo sem saída em alguns momentos, resolvi pesquisar indicações de livros que ajudassem os pobres pais nesses momentos. E aí me deparei com o "Mamãe botou um ovo!" de Babette Cole. Vi inúmeras recomendações e comprei o livro pra ler com a Julia.

Confesso que ao ver pela primeira vez, me assustei um pouco. O livro é claro como água, mas sem a maldade que está na cabeça dos adultos. Mostrei para o Claudio que também ficou assustado e querendo se acovardar (e ele me deve uma porque na verdade eu que li com ela e expliquei e ele ficou só vendo de camarote). 

Enfim, peguei o livro e chamei da Julia pra ler. Disse pra ela que era um livro que explicava direitinho como os bebês são feitos e que queria ler com ela porque ela tinha me perguntado várias vezes. No começo da leitura ela achou engraçadíssimo, porque os personagens têm umas teorias bizarras sobre a origem de meninos e meninas. Como ela já sabia da história da sementinha, ficou achando tudo muito engraçado e fazendo aquela carinha de "eles não sabem de nada!"

Mas quando chegou a parte onde fala como o papai coloca a sementinha na barriga da mamãe, o interesse aumentou. Eu li com calma e notei que ela não estava entendendo bem o que era o pênis (o livro não usa esse termo, mas aproveitei para introduzir a palavra no vocabulário dela). Eu então disse que também servia para o papai fazer xixi e aí na hora ela ligou "o nome à pessoa". A carinha dela de quem estava entendendo foi ótima!

Da anatomia feminina, acho que ela não captou exatamente o que é o "buraquinho" até porque ela nunca viu o dela (nunca usou um espelhinho, né? ainda não tem idade para esse nível de curiosidade) e como ela não perguntou, achei melhor não entrar em maiores detalhes. Já tinha informação demais na cabecinha dela e também fiquei com medo dela resolver dar uma "aula" para os amigos na escola. Já pensou ela mostrando na escola onde era o buraquinho? Gosto nem de pensar..... Enfim, minha intuição materna me cochichou que eu não deveria esticar demais a explicação, já que ela não perguntou. Responder só até onde vai a curiosidade da criança, sempre!



Durante os dias seguintes, ela ainda manuseou o livro algumas vezes e me pediu para ler novamente. Deixei o livro ao alcance dela propositadamente para que ela manipule quando quiser e possa ter outros questionamentos e me perguntar. Vamos ver o que mais de curiosidade vai despertar!

Quanto ao livro recomendo demais! É uma excelente ajuda para os pais que ficam em pânico na hora em que os filhos querem saber como o papai coloca a sementinha na barriga da mamãe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Viu?

Claudio estava com dor no pescoço e nas costas e me pediu pra fazer uma massagem nele (corajoso...). Comecei a fazer e a Julia ao lado observando. Ele então começou a gemer porque eu estava acertando nos pontos doloridos mesmo e a Julia ficou impressionada, perguntando se estava machucando.

Mesmo o pai dizendo que estava tudo bem, ela insistia em me pedir pra deixá-la fazer a massagem, dizia que queria me ensinar. Eu então deixei (senão ela não me deixaria me paz). Ela colocou as mãozinhas no ombro do pai e começou a "massagear" com cuidado. Perguntou para o pai se estava tudo bem e ele, obviamente, respondeu que sim.

Ela então olhou pra mim e disse: "tá vendo, mãe? Não precisa fazer força, é só fazer assim... viu?"

Eu aguento????
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...