segunda-feira, 6 de maio de 2013

"Mamãe botou um ovo"

Já falei aqui, aqui, aqui e aqui dos questionamentos da Julia sobre de onde vem os bebês e que isso se intensificou com minha gravidez. Depois de vários momentos de pânico com as perguntas e de ficar me sentindo sem saída em alguns momentos, resolvi pesquisar indicações de livros que ajudassem os pobres pais nesses momentos. E aí me deparei com o "Mamãe botou um ovo!" de Babette Cole. Vi inúmeras recomendações e comprei o livro pra ler com a Julia.

Confesso que ao ver pela primeira vez, me assustei um pouco. O livro é claro como água, mas sem a maldade que está na cabeça dos adultos. Mostrei para o Claudio que também ficou assustado e querendo se acovardar (e ele me deve uma porque na verdade eu que li com ela e expliquei e ele ficou só vendo de camarote). 

Enfim, peguei o livro e chamei da Julia pra ler. Disse pra ela que era um livro que explicava direitinho como os bebês são feitos e que queria ler com ela porque ela tinha me perguntado várias vezes. No começo da leitura ela achou engraçadíssimo, porque os personagens têm umas teorias bizarras sobre a origem de meninos e meninas. Como ela já sabia da história da sementinha, ficou achando tudo muito engraçado e fazendo aquela carinha de "eles não sabem de nada!"

Mas quando chegou a parte onde fala como o papai coloca a sementinha na barriga da mamãe, o interesse aumentou. Eu li com calma e notei que ela não estava entendendo bem o que era o pênis (o livro não usa esse termo, mas aproveitei para introduzir a palavra no vocabulário dela). Eu então disse que também servia para o papai fazer xixi e aí na hora ela ligou "o nome à pessoa". A carinha dela de quem estava entendendo foi ótima!

Da anatomia feminina, acho que ela não captou exatamente o que é o "buraquinho" até porque ela nunca viu o dela (nunca usou um espelhinho, né? ainda não tem idade para esse nível de curiosidade) e como ela não perguntou, achei melhor não entrar em maiores detalhes. Já tinha informação demais na cabecinha dela e também fiquei com medo dela resolver dar uma "aula" para os amigos na escola. Já pensou ela mostrando na escola onde era o buraquinho? Gosto nem de pensar..... Enfim, minha intuição materna me cochichou que eu não deveria esticar demais a explicação, já que ela não perguntou. Responder só até onde vai a curiosidade da criança, sempre!



Durante os dias seguintes, ela ainda manuseou o livro algumas vezes e me pediu para ler novamente. Deixei o livro ao alcance dela propositadamente para que ela manipule quando quiser e possa ter outros questionamentos e me perguntar. Vamos ver o que mais de curiosidade vai despertar!

Quanto ao livro recomendo demais! É uma excelente ajuda para os pais que ficam em pânico na hora em que os filhos querem saber como o papai coloca a sementinha na barriga da mamãe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários:

Cristiane disse...

Nem me fala querida!!!tbm piro !!!kkkkk Cris

Myriam Scotti disse...

Ai, que situação dificil!! Mas adorei a sua didática. Eu tb "descobri" de onde vinham os bebês por meio de um livrinho que a mamãe me deu quando eu tinha uns 8 anos. Naquela época as crianças eram menos curiosas e as informações não chegavam em avalanches como nos dias de hoje, né?! Então, é bem melhor informar e matar a curiosidade do que nossos filhos saberem pelas vias mais "cabeludas" com os amiguinhos da escola etc. Bjs e boa semana!!

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Pois é, Myriam, eu também tinha uns 8 ou 9 anos quando a mamãe veio conversar comigo... jamais imaginei conversar isso tão cedo com a Julia.

Mas a curiosidade dela estava muito atiçada, achei melhor conversar logo. E aí no meio da minha pesquisa, eu descobri que essa curiosidade é pra aparecer nessa idade mesmo e consequentemente, devemos começar a introduzir o assunto nessa idade. Inclusive vi uma recomendação que se até uns 7-8 anos, se a criança não perguntar nada, não fizer nenhum questionamento, os pais devem tomar a iniciativa.... Sinceramente? Graças a Deus a Julia teve a curiosidade porque não sei como eu iria começar o assunto sem ela demonstrar interesse!

nildafrota disse...

Sylvinha, parabéns pela sua abordagem de criar essa possibilidade de ajudar a Júlia.
Educ.sexual é algo que está ligada a curiosidade dos pequeninos, a idade dos "porquês".Sabemos q.grande parte dos problemas ligados à vivência da sexualidade tem origem na falta de informação,
mesmo e no final a criança fica angustiada e vão bloqueando o alicerce da criança. Parabéns ao triângulo familiar que se preocupa em emitir essa comunicação, carinho, ternura ref.fase da sexualidade aflorada. Em breve é o quarteto familiar.bjs Nilda F.

Daniele Bernardino disse...

Li Não gostei e não indico.Nao achei apropriado para crianças.principalmente qdo mostra por desenho posições que papais realizam para esse fim.E qdo mostra q as crianças já sabiam como que realmente é me fez pensar em como e onde essas crianças aprenderam esse assunto.Enfim mto de mal gosto