segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Bodas de Estanho: os primeiros 10 anos do resto de nossas vidas!

Esse mês completamos 10 anos de casados. Dez anos!!!! Pra mim é uma data muito significativa e que merecia uma boa comemoração. E teve, claro! Não com festa, que não é nossa prioridade financeira no momento, mas com uma noite só nossa, que começou com um jantarzinho romântico e um presente surpresa que me emocionou, acima de tudo, pelo cuidado, pela lembrança, pelo amor envolvido (além de ser lindo, claro!).

Foi uma década maravilhosa, a melhor da minha vida! E como poderia ser diferente? Tenho o privilégio de ser casada com um homem que admiro, que respeito. Sou casada com um ser humano maravilhoso, com um pai presente, brincalhão e educador. Tenho ao meu lado meu namorado por quem sou apaixonada, tenho ao meu lado meu companheiro de batalha, tenho ao meu lado alguém que segura minha mão nos momentos mais difíceis. 

E nós tivemos momentos difíceis... quem não os tem? Alguns foram bem complicados. O ano de 2010 sem dúvida nenhuma foi o mais duro deles: Claudio em Ribeirão Preto e eu só com a Julia. Morávamos longe da família (na cidade vizinha, só encontrávamos com alguém nos fins de semana) e não contava com minha mãe, que já tinha Alzheimer. A gente se via por 3 a 4 dias a cada 2 meses, a grana era curta, a Julia muito pequena (quando ele viajou ela tinha 1 ano e 7 meses)... ainda hoje, quando ele viaja pra algum congresso, eu fico mal.... todo aquele sentimento de solidão de 2010 aflora...

O ano de 2005 trouxe o diagnóstico de Alzheimer da minha mãe. Foi doloroso ter o diagnóstico, embora eu já estivesse suspeitando. E ele ali, do meu lado, segurando minha mão e embarcando comigo nessa jornada de ser mãe da minha mãe.

O ano de 2007 trouxe minha primeira gravidez e com ela uma felicidade imensa, que logo se transformou em dor, quando perdi o bebê. Para os homens, não adianta negar, é mais fácil superar, pelo menos na superfície. Mas Claudio foi de uma paciência e de um carinho infinitos, que me ajudaram a superar no meu tempo.

O ano de 2013 trouxe o nascimento complicado da Alice. Das poucas coisas que me lembro quando eu estava na UTI, era o olhar cansado e preocupado dele, ao meu lado. E depois que tive alta, da infinita paciência dele comigo, chorosa e aflita, tumultuando ainda mais a cabeça dele que já estava aflita também.

Mas nós tivemos muitos, muitos momentos maravilhosos! Nascimento da Julia, alta da Alice da uti neo, a volta dele pra casa, depois de 1 ano longe, as primeiras descobertas das meninas, os dias de preguiça em família, sobremesas divididas em meio a risadinhas, as conquistas profissionais, os planos para o futuro... Foram tantos momentos mágicos! De pequenos a grandes, eles que nos fizeram chegar até aqui e eles que nos fazem continuar! Rindo de nós mesmos, nos apoiando, planejando o futuro, curtindo o que conquistamos e passando nossos valores às meninas, vamos seguindo e fazendo a alegria do nosso casamento ser construída diariamente!

Esses foram os primeiros 10 anos do resto de nossas vidas e seguimos sendo felizes para sempre!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Alis e outros vocábulos

Alice, 1 ano e 3 meses.

Alice, fala papaí:
"Papai"

Alice, fala mamãe:
"Papai" (risadinhas).

Sim, ela sabe chamar mamãe quando quer. Olha pra mim com carinha pidona, fazendo biquinho e chama mamãe pra vir pro meu colo. Mas se eu pedir pra ela falar mamãe, aí ela solta "papai" e ri!

No vocabulário temos também:

"Alis" - Alice
"Buia" - Julia
"Tau" - Tchau
"Pé" - Pé
"Kis" - Cris
"Dá" - Dá
"Bubum" - Bumbum
"Aô" - Alô
"shfjdksd" - Vovoinha (para vovoinha ela faz um conjunto de sons que não sei reproduzir, mas são sempre os mesmos)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...